"Todos nós achamos uns sabidos, todos nós. Homens e mulheres
Achamos que sabemos das coisas. Ainda assim, muito devemos ao acaso: Essa serie de fatos da vida que vai nos levando por vários caminhos, que nos faz chegar ao ponto exato em que chegamos.
Andamos por ai com nossos dois pés e coluna reta e cabeça erguida e braços ao lado do corpo, como se fossemos realmente os seres mais evoluídos dessa terra.

E acho que o amor é isso.

Esse desejo comum de todos nós de sorrir, sorrisos cúmplices, de olhar para aquela pessoa sem nem conseguir acreditar que aquela pessoa é realmente o seu AMOR.
A capacidade de se sentir tão em casa, que a presença daquela pessoa vira lar. Isso é AMOR.
E ele é já aprendi, totalmente acidental!

Claro que, para quem acredita que tudo na vida acontece por uma razão a palavra "ACIDENTAL" talvez nem faça tanto sentido.
Mas explico: é acidental, porque é somente . Todo amor começa como semente. E semente já já sabe fica debaixo da terra, sem ninguém ver, até que um dia, decide acordar. E quando acorda, acorda timidamente se espreguiça devagar, faz todo um caminho até chegar a superfície e, ainda, quando aparece, chega desconfiada, solta só um galinho, uma folhinha, um raminho.

E a partir daí, tudo depende. Depende da água que regará essa muda, depende do sol, depende do vento, depende do solo que segura a raiz, depende do perigo, que a ex-semente-presente-plantinha-e-talvez-futura-arvore, enfrentara.

O amor acontece acidentalmente porque cada um de nós é um acidente esperado acontecer.
E eu sei que estamos acostumados a ler a palavra "ACIDENTE" como algo ruim, mas na verdade, o rompante que sentimos de súbito quando soltamos uma gargalhada gostosa é justamente um acidente.

Todo riso é um acidente que acontece nos lábios.
E todo sentimento é um acidente, provocado pelo coração."

- Retirado de uma fanfic.



Nenhum comentário

Postar um comentário

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger